O Amor é Cego – Parte V

O Pequeno Marlon

Eu perguntava a Ana o que estava acontecendo, mas ela não respondia. E eu não entendia por que Carlos estava falando aquelas coisas para ela. Então veio um choque em meu peito que saiu rasgando cada veia ligada ao coração, quando eu pensei que Ana pudesse ser namorada dele, e isso seria demais para mim.

– Vá embora, Carlos. Nos deixe em paz. – ela disse.

– Foi o pai dele que fez isso com você, e ainda fica saindo com ele, Ana? – Carlos disse com raiva. E eu já estava quase indo embora dali, mas quando ele falou sobre o meu pai, e que ele fez aquilo com ela, eu fiquei curioso para saber. Ele estava colocando o meu pai no meio daquela conversa e agora era comigo.

– Como assim? Ana, o que está acontecendo?

Maylon já começava a ficar agitado com aquela confusão toda. E então Carlos começou a dizer tudo. Falou toda a verdade.

Naquela noite do acidente, o carro do meu pai se chocou com outro, no qual estavam três pessoas. Como só o meu pai tinha morrido no acidente, e como eu sofri tanto, nunca me falaram nada sobre os outros envolvidos. Falaram para a minha mãe, mas ela não procurou saber mais a fundo sobre eles, já que ela também sofreu muito.

Quem estava naquele carro era…

– Está tudo bem aqui? Jonas? O que aconteceu, meu filho? O que vocês fizeram com ele? – minha mãe tinha reconhecido o carro de Carlos, e foi correndo até lá. Eu não estava descontrolado, como da última vez , mas havia uma lágrima tímida que escorria dos meus olhos escondidos atrás do óculos.

Ela me levou dali, e disse que não queria mais que Carlos chegasse perto de mim, senão ela o denunciaria. E falou o mesmo para Ana, disse que ela não era boa companhia. Mas quando chegamos em casa, eu disse tudo para ela, tudo o que Carlos falou. E ela ficou tão surpresa quanto eu, mas não queria mudar de opinião em relação a Ana. No entanto eu a convenci que Ana não era nada daquilo que ela dizia, e que devia pedir desculpas. Foi o que ela fez. Chamou-a em casa, e pudemos ter uma conversa sincera, pois Ana precisava tanto quanto nós de uma conversa amigável entre os envolvidos.

Ana estava naquele carro com seus pais. E como o carro do meu pai bateu na lateral do carro deles, ela foi a mais ferida. Quase morreu, mas os médicos conseguiram salvá-la, porém perdeu uma das pernas. Usava uma perna falsa, ela também era como eu. Éramos iguais, e por isso nos entendíamos tanto. Assim como eu ela perdeu algo naquele acidente. Depois que os rapazes me sequestraram, Carlos contou para ela quem eu era e porque ele me perseguia.

Ana me viu poucas vezes na escola, antes de nos conhecermos, mas sempre que me via tentava falar comigo, porém nunca tinha coragem, porque eu era sempre isolado dos outros, mas no dia que viu Carlos fazer aquilo comigo se encheu de força de vontade e foi. Ele é, na verdade, irmão dela, e me prosseguia porque meu pai tinha causado aquilo com ela.

Mas depois que tudo foi esclarecido, Ana e eu começamos a namorar, eu conheci seus pais, Carlos fez as pazes comigo, e a partir dali eu ganhei mais um amigo. Como estudávamos na mesma sala ele se dispôs a me ajudar em tudo o que precisasse, então a escola se tornou mais suportável para alguém com deficiência visual.

Depois de um tempo, me casei com Ana, e tivemos um rapaz, no qual pomos o nome de Marlon, em homenagem ao meu pai. Maylon morreu quando ele tinha três anos, e eu chorei tanto quanto chorei por meu pai. Mas já tinha Marlon para suprir a ausência dos dois.

Eu me formei em várias faculdades, e sou professor em várias universidades da cidade.

O que eu fiz para conseguir tudo isso? O mesmo que todos os outros: dedicação. Além de uma pitada de confiança de alguém que me chamava de “meu pequeno falcão” e de outro que agora eu chamo assim: meu pequeno Marlon.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s